27/12/2017

2017 consolida Brasil entre os maiores produtores mundiais de energia eólica

País subiu no ranking global e ultrapassou a marca de 500 parques instalados

A energia eólica alcançou números significativos ao longo de 2017 no Brasil. O país chegou aos 12,64 GW (gigawatts) de capacidade instalada, ultrapassou o número de 500 parques e de 6.500 aerogeradores. Esses resultados alçaram o Brasil à sétima colocação do ranking mundial* de produção de energia originada pela força dos ventos.

Na matriz energética nacional, a fonte eólica passou a representar 8,1% da produção – aumento substancial em relação aos 7% de 2016 e que se aproxima das líderes no quesito. Atualmente, a hidrelétrica representa 60,9% da produção total do país, seguida pela biomassa (9,3%) e pelo gás natural (8,3%).

2017 também marcou o início das operações da Echoenergia, que chegou ao mercado com o propósito de gerar novos caminhos para o desenvolvimento sustentável do país. A empresa, com sede administrativa em São Paulo e empreendimentos em Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte, está comprometida com a expansão e fortalecimento dessa fonte renovável.

Os próximos anos indicam a ascensão ainda mais impactante da energia eólica no país. Estudos da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) apontam para o número de 17,33 GW instalados em todo o território nacional até 2020.

Mantida essa tendência, 2018 deve ser promissor tanto para a Echoenergia quanto para toda a fonte eólica brasileira.


*Dado do Ministério de Minas e Energia (MME)