03/04/2018

Centro de Operação é referência em inovação e eficiência

Da sede da Echoenergia, sistema monitora geração dos complexos eólicos

Quando inaugurou sua nova casa em São Paulo, no final do ano passado, a Echoenergia tinha outra novidade para apresentar: o Centro de Operação da Geração (COG) construído na própria sede. O sistema é referência em inovação e foi implementado em trabalho integrado entre a equipe de operação e de tecnologia da informação da empresa.

“O nosso grande desafio foi desenvolver um Centro de Operação da Geração alinhado às necessidades da companhia, como acesso remoto, comunicação ágil, segurança da informação, ambiente intuitivo e alta disponibilidade”, conta André Spina, Gerente de TI da Echoenergia. “Trabalhar nessa solução técnica junto à equipe de operação foi essencial para a implementação do projeto ser um sucesso”, complementa.

O COG funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, em uma sala transparente no centro do escritório. “O Centro de Operação da Geração é o coração da nossa empresa e seu espaço físico dentro da sede é muito simbólico. Quem entra e sai da Echoenergia, seja colaborador, visitante ou parceiro, logo de cara enxerga sua importância”, diz Alexsandro Martins, Gerente de Operações da empresa.

Por meio de acesso remoto e comandos, o sistema consegue conferir a energia total gerada nos empreendimentos, velocidade do vento, potência elétrica, bem como a quantidade de aerogeradores em funcionamento. Atualmente, o COG é focado em analisar dados do Complexo Eólico Ventos de São Clemente (PE) e Complexo Eólico Ventos de Tianguá (CE). São 350 megawatts (MW) monitorados atualmente, mas esse valor chegará a 456 MW até abril.

O sistema também conta com uma ferramenta própria de comunicação integrada de rádio entre o COG e os profissionais de campo. Isso agiliza as tomadas de decisão, o que garante segurança aos colaboradores e alta performance da geração de energia.  

Em ambiente tecnológico térmico, o COG tem isolamento acústico e layout pensado em ergonomia para segurança, bem-estar e eficiência dos operadores técnico. Isso permite ter uma visão completa da geração de energia dos empreendimentos eólicos do Nordeste com nível máximo de atenção aos dados projetados nos monitores.

Para operar o sistema, os profissionais passam por um curso de certificação que os qualifica por meio de duas etapas: a primeira relativa a conhecimentos técnicos, como operação de equipamentos, tomada de decisão e entendimento do sistema. Depois vem o preparo psicológico, fundamental para a função.

“Nosso foco no futuro é chegar a marca de 1 gigawatt (GW) monitorado. O Centro de Operação da Geração tem um grande potencial de monitoramento e vai acompanhar o projeto agressivo de expansão da Echoenergia para os próximos meses”, completa Martins.